Abel se irrita com vaias ao time: “O Fluminense não tem paz, chega disso”

Antes do 3 a 0 sobre o Nacional Potosí, na estreia da Sul-Americana, Tricolor tem atuação criticada pela torcida. Técnico, que machucou a perna esquerda, mostra insatisfação: “Se for para vaiar, não vem”

bel Braga chegou à sala de coletivas do Maracanã, já na madrugada desta quinta-feira, mancando e muito irritado. Primeiro, pela dor que sentia na perna esquerda, fruto de um pisão em falso após a comemoração do gol de Gum.

Depois, pelo comportamento da torcida. Antes do 3 a 0, construído após a entrada de Pablo Dyego, (veja melhores momentos no vídeo acima), a atuação irregular do time rendeu vaias. Ainda no primeiro tempo.

– Eles trocaram seis jogadores em relação ao último jogo. Colocaram um central argentino, o outro zagueiro é uruguaio. Dificultaram ao máximo. A gente poderia ter vencido no primeiro tempo. Poxa, levamos vaias no intervalo. Se for para vaiar, não vem. Só vieram 6 mil torcedores. Estou irritado. Esse time não merece isso. Tá louco, cara, o Fluminense não tem paz, chega disso – desabafou o treinador.

Hector Werlang@hectorwerlang

Abel chega mancando na coletiva.

Sobre a lesão, Abel ainda não tem detalhes do que ocorreu. Porém, entende que terá prejuízos no comando do time, a começar por domingo, em São Paulo, na primeira rodada do Brasileirão.

– Isso vai me prejudicar. Eu não consigo ver meu time sentado. Pensei que havia tomado um tiro, olhei e não vi sangue. Pensei que era uma pedrada. O médico me falou que era tendão, mas coloquei o pé no chão. Vamos ver como vou me recuperar – relatou.

Felipe Siqueira@felipe_siqueira

Abelão brincou na saída: “Vou ter que tomar anti-inflamatório… E vinho!”

O Flu decide a vaga na segunda fase da Sul-Americana, dia 10 de maio, na altitude de 4 mil metros de Potosí.